Ir para conteúdo
sex, 01/09/2017

Agência Lupa ignora fatos, dados e sua própria metodologia

A agência de Lupa escolheu ignorar sua própria metodologia de checagem ao analisar as declarações do governador Geraldo Alckmin na reportagem “2018: Dória e Alckmin já vivem pré-campanha”. O texto “como fazemos nossas checagens”, disponível no site da própria agência, é claro ao afirmar que a agência não checa opiniões. No entanto, foi uma opinião pessoal do governador Geraldo Alckmin sobre as eleições de 2018 que a agência classificou como contraditória.

Os oito passos da metodologia da Lupa estabelecem ainda que, “após decidida a frase que será checada”, compete ao repórter da agência fazer um amplo levantamento sobre tudo que foi publicado sobre o tema, incluindo bases oficiais. Quando afirmou que São Paulo tem a menor taxa de homicídios do país, fato incontestável, Alckmin utilizou dados relativos a 2016 da Secretaria de Segurança Pública, que há quase 20 anos compila e divulga os indicadores criminais rotineiramente utilizados pela imprensa e por pesquisadores.

Ora, o fato de o repórter da Lupa não completar sua apuração não torna “falsa” ou “equivocada” a afirmação do governador. Os dados utilizados por Alckmin são legítimos e mais atualizados que os citados pela reportagem que utilizou como fonte o Atlas da Violência 2017, que contempla os homicídios registrados ao longo de 2015. Anteriores, portanto, aos mencionados pelo governador.

Infelizmente, a agência, que se propõe a checar dados e fatos, ignorou indicadores oficiais e contestou o que deveria elogiar: a transparência de São Paulo.

← Voltar