Ir para conteúdo
sáb, 08/04/2017

Sabesp presta contas sobre Projeto Tietê e seus investimentos

A reportagem sobre o Projeto Tietê, veiculada no telejornal “Edição das 16h” da Globonews de 07/04/2017, fez comparações descabidas e ignorou os resultados obtidos pelo programa ao longo dos anos. Além disso, privou o telespectador dos fatos. Vamos a eles:

1) O Projeto Tietê tem resultados efetivos, o que foi ignorado pela GloboNews. Como informado em nota, os resultados são evidentes: a mancha de poluição no Tietê recuou de 530 km, em 1992, para 137 km, em 2016, segundo a Fundação SOS Mata Atlântica. Isso é fruto das ações do projeto. O rio está mais limpo.

2) A edição tratou a evolução dos investimentos como se houvesse um fosso de um ano para outro. Errado. Obras como as do Projeto Tietê são de longo prazo e a avaliação só pode ser feita considerando-se isso. A instalação de um coletor-tronco ou a construção de uma estação de tratamento de esgotos leva anos. Cada investimento vai se somando até que o esgoto seja coletado e tratado. É como colocar uma emissora de TV no ar: é necessário comprar os equipamentos, acertar o uso dos satélites, selecionar os profissionais, montar estúdios, a infraestrutura. Ao final de tudo isso a TV terá o sinal no ar.  Da mesma forma, o investimento do Projeto Tietê acontece ao longo do tempo, até o esgoto ser coletado e tratado. O que existe é investimento permanente, que varia ao longo dos anos por causa da característica de cada empreendimento.

3) A Sabesp depende do lucro para poder investir no Projeto Tietê. A empresa não recebe dinheiro de nenhum governo, só tem como fonte de receita a tarifa paga pelos clientes. É dessa arrecadação que ela tira os investimentos. Aliás, a nota da Sabesp mencionava que a empresa lucrou R$ 2,9 bilhões em 2016 e investiu muito mais – R$ 3,9 bilhões. A GloboNews ignorou esse fato. Seria muito melhor se a emissora tentasse explicar ao telespectador como é possível a companhia investir R$ 1 bilhão a mais do que lucrou no ano anterior.

A Sabesp está à disposição da GloboNews para prestar os esclarecimentos, principalmente se houver tempo hábil para isso. A demanda foi recebida às 14h03 para o “Edição das 16h”. Mesmo assim a empresa enviou resposta, cujos pontos essenciais foram ignorados.

← Voltar