Ir para conteúdo
ter, 25/04/2017

Os esclarecimentos da Sabesp que foram omitidos pelo Estadão

A reportagem “Delator indica propina em obra da Sabesp”, publicada nesta terça-feira, 25, pelo jornal O Estado de S.Paulo omite a resposta encaminhada pela Sabesp sobre as obras do “Emissário Praia Grande”.

Em relação à obra, a Sabesp esclarece que a licitação do contrato CS 35.333/06 ocorreu em junho de 2006. O contrato foi assinado em novembro de 2007 e encerrado em 2010. Durante o período que vai da licitação até a conclusão das obras, o ex-diretor João Paulo Tavares Papa não tinha vínculo com a Sabesp. Ele foi diretor de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente da companhia de 21/03/2013 a 27/03/2014.

A ausência da resposta da Sabesp levou os leitores a uma interpretação equivocada dos fatos. Diante disso, esclarecemos ainda que o delator Benedito Junior não aponta em nenhum momento que os supostos recursos usados nas campanhas do governador Geraldo Alckmin teriam sido oriundos de desvios. Não se delata, portanto, qualquer tipo de contrapartida para campanhas eleitorais do então candidato Alckmin.

 

← Voltar